fbpx

Notícias

upset-stressed-sad-acne-woman-with-problem-skin-squeezes-pimple-home-using-small-round-mirror_122732-2232
15 outubro 2020

Acne na vida adulta: Dermatologista explica porque surge e dá dicas de tratamentos

Problema acontece a partir dos 25 anos e pode ser alerta para um desequilíbrio hormonal.

Mais comum na adolescência, a aparição de espinhas e cravos, também chamada de acne, com passar dos anos tende a diminuir ou desaparecer. Mas o que fazer quando o problema persiste ou chega só durante a fase adulta?

Segundo a dermatologista da Clínica Osmilto Brandão, Marília Acioli, diferente da acne vulgar (como é chamada quando ocorre no período da adolescência), que costuma se apresentar pelas bochechas e testa, a acne adulta se caracteriza pelo grande número de espinhas e cravos principalmente na área inferior do rosto indo em direção ao pescoço.

Essa condição ganha esse nome quando ocorre a partir dos 25 anos e pode ser aparecer tanto em homens como mulheres. Porém, ela é mais comum no sexo feminino e sofre uma piora no período menstrual. “Nas mulheres essa acne pode inclusive ser um sinal de alerta para um desequilíbrio hormonal, como o caso da síndrome dos ovários policísticos”, explica a medica.

Ainda segundo Acioli, o tratamento para acne adulta costuma ser bem parecido com o da acne vulgar, mudando um pouco os produtos usados. Entretanto, vale a consulta com um dermatologista para uma avaliação adequada.

Entre os tratamentos, além do fundamental skincare,  pensado para cada tipo de pele, em muitos casos pode-se associar o uso de medicamentos como anticoncepcional (adequados para cada situação), e em casos mais graves, o uso de Isotretinoína e lasers.  Entretanto, este último costuma ser mais utilizado no tratamento das cicatrizes e manchas causadas pela acne.

E falando em manchas, a médica alerta: “uma das coisas mais importantes é que a pessoa não mexa na área, espremendo espinhas ou cravos porque além do risco de infecções, essa manipulação pode criar cicatrizes e manchas que podem complexar o tratamento”. Ela explica que não existe uma receita que serve para todos, e por isso, o mais adequado é sempre buscar orientação médica para encontrar o melhor tratamento para cada problema.

Fale com a Osmilto Bradão
Enviar para WhatsApp